Amigos do Blog.

Páginas

domingo, 20 de janeiro de 2013

Brasil. _ Um País de ladrões?


Ao entrar em no banheiro público de um órgão Estadual, no centro do Rio de Janeiro, fiquei espantado  com a cena demonstrada na foto a seguir:

É bom ressaltar que esta foto, não foi tirada com o meu CELULAR, um amigo me prestou o favor.

Meu celular, não o atual, um ótimo celular que tirava foto com 5 megapixels e foi meu companheiro por uns três anos, também foi ROUBADO. 

Esqueci de botar o CADEADO e mesmo sabendo quem era o ladrão, optei por não denunciá-lo aos seguranças do local, para não me tornar culpado pelo próximo presunto que aparecesse na área.
Melhor ficar com o prejuízo.
Mais tem Deus pra dar, do que o ladrão pra roubar.

Voltemos a foto, ou melhor, aos fatos:  _Quando entro no banheiro, por sinal, bem limpo e cuidado, me deparo com o cadeado que impede a reposição e também, a RETIRADA  do rolo de PAPEL HIGIÊNICO.

Conclusão lógica: _Estão furtando até PAPEL HIGIÊNICO (me lembrei até, de uma música infantil de minha época {ou seja, muiiito antiga rsrs} que falava... não faz mal, não faz mal,... limpa com jornal...).

Muito provavelmente, a solução do cadeado, foi dada pelos próprios funcionários de limpeza, para evitar, além dos furtos, a acusação de serem os responsáveis pelo mal feito.

Neste mesmo dia, em uma fila de caixa de uma destas grandes lojas, que vendem quase tudo, não estava mais com o amigo e seu poderoso celular, vejo mais uma cena corriqueira neste País: _Um saquinho de amendoim, destes de R$ 0,50, vazio e jogado sobre uma prateleira. Comeu e resolveu não pagar. É claro, que volumes maiores, enfrentaram a fila do caixa, mas não importa se o valor era de R$ 0,50 ou R$ 0,05, o que importa é o ato.

São três exemplos, aparentemente banais, um papel higiênico, um celular e um amendoim, mas nos demonstram que o nosso povo está se corrompendo.

Já se foi há muito tempo, a época em que podíamos dormir com janelas abertas, esquecer a carteira com dinheiro no banco da praça, ou a bolsa de compras no mercado, com a certeza de que ninguém entraria em casa para nos furtar, a carteira seria devolvida e a bolsa no mercado ou estaria no mesmo lugar, ou guardada junto ao caixa.

Quem se presta  a furtar um celular, um rolo de papel higiênico ou um pacotinho de amendoim, certamente fará qualquer coisa por dinheiro.

Sabemos que o exemplo vem de cima. Nosso povo que constantemente, observa  os políticos roubando, negando o roubo e continuando impunes, segue o exemplo de seus líderes. 
Obviamente,  me refiro aos de mente mais fraca.
Quem é fiel a princípios de honra e ética (provavelmente teve aulas de moral e cívica na juventude), não segue os exemplos de nossos líderes atuais.

Isso tudo me leva a pensar: _Será que nossos líderes atuais, em sua aparente maioria, foram ladrões de celulares, papel higiênico, amendoins e até de galinhas?

Abraços,

Cláudio Fontes

Pesquise com PRIVACIDADE!!!

Este SiteWeb